WhatsApp-Image-2024-02-18-at-17.41.03

Comunidade Epifania presente na Abertura da CF 2024 na Arquidiocese de Vitória

Cartilha escrita por bispos da Igreja Católica foi entregue durante a celebração dos 60 anos da Campanha e traz reflexões sobre a boa política, o combate às fake news e a necessidade de conscientização neste ano de eleições

Ontem, dia 18, a Arquidiocese de Vitória realizou a abertura da Campanha da Fraternidade 2024, marcando os 60 anos da Campanha que acontece ininterruptamente desde 1964 e preparando os fiéis para o período pascal.

A celebração realizada no Ginásio Dom Bosco, em Vitória, foi repleta de simbolismos em torno do tema central: a amizade social e fraternidade entre todas as pessoas. O lema utilizado neste ano é o versículo de Mateus 23,8: “Vós sois todos irmãos e irmãs”.

Durante o evento, todos os presentes receberam uma cartilha inspirada na Encíclica “Fratelli Tutti”, do Papa Francisco, que nos chama à responsabilidade política, social e ecológica.

A cartilha foi escrita por Bispos do Espírito Santo sobre a melhor política, para auxiliar na reflexão a respeito das eleições, a necessidade de atenção às mensagens falsas (fake news) e o cuidado com os extremismos.

“Estamos vivenciando no mundo inteiro um momento de disputas ideológicas se sobrepondo aos projetos coletivos e políticos. A igreja, preocupada com essa situação, propõe uma reflexão mais profunda sobre a nossa contribuição para o bem comum, não a disputa pelo poder. A união da sociedade em torno do bem estar de todos”, explicou o Pe. Kelder Brandão, Vigário para Ação Social, Política e Ecumênica.

Estandartes de todas as edições da Campanha foram exibidos

60 anos da Campanha da Fraternidade

A celebração de abertura também foi um momento de comemorar os 60 anos da Campanha da Fraternidade, essa Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil que ao longo dessas seis décadas tem sido um sinal profético na Igreja e na Sociedade, trazendo temas pertinentes à nossa vida eclesial e social.

As seis décadas de história e profetismo da Igreja no Brasil foi recordada através da entrada dos estandartes das Campanhas da Fraternidade, em ordem decrescente, lembrando seus temas e lemas.

Destaque para a desigualdade no Estado

Nas reflexões trazidas ao longo da celebração foi lembrada a condição dos mais carentes em nosso Estado, os moradores das periferias criminalizados e desrespeitados em sua dignidade, sofrendo dia e noite com a violência causada, ora pelo tráfico, ora por agentes de segurança pública.

E a fome que continua maltratando milhares de famílias capixabas. Muitas dessas famílias, sem sequer uma casa para morar, sendo obrigadas a viver nas ruas e praças.

E as preces reforçaram o pedido de que o Senhor nos ajude a redescobrir, a partir da Palavra de Deus, a fraternidade, a amizade social e a comunhão como elementos constitutivos de todo ser humano.

O objetivo é reforçar em cada um de nós a beleza, a convivência humana em fraternidade, valorizando o espírito da amizade entre nós. A amizade nos leva ao acolhimento, à reconciliação, fortalece a convivência fraterna, reforçou o arcebispo Dom Dario Campos.

Fotos: Pascom Paróquia Santíssima Trindade de Aribiri

papa-quaresma

No início da Quaresma, Papa medita sobre vício da preguiça

Francisco continuou sua série de catequeses sobre vícios e virtudes. Veja este e outros destaques da Semana do Papa.

Na primeira semana da Quaresma, o Papa Francisco dedicou sua catequese de Quarta-Feira à meditação sobre o vício da preguiça. No mesmo dia, o Pontífice pediu aos fiéis que busquem viver este forte tempo litúrgico sem máscaras. Veja estes e outros destaques da Semana do Papa.

Papa ensina sobre vício da preguiça

Na Quarta-feira de Cinzas, o Papa realizou a Audiência Geral na Sala Paulo VI, dando continuidade ao ciclo de catequeses sobre vícios e virtudes. O tema da semana foi a acídia, mais conhecida como “preguiça”. De acordo com o Pontífice, na raiz grega do termo acídia está a “falta de cuidado”.

De acordo com Francisco, a acídia também é definida como o “demônio do meio-dia”, pois desponta quando o cansaço está no auge e as horas a seguir parecem monótonas, impossíveis de viver. São características que lembram a depressão, pois para quem é dominado pela acídia a vida perde o sentido, “é um pouco como morrer antes da hora”, afirmou o Papa.

Ainda de acordo com Francisco, os mestres espirituais apontaram vários remédios para esse vício. Mas o que ele destacou como mais importante é a paciência da fé, ou seja, a coragem de ficar e acolher no meu “aqui e agora” a presença de Deus.

A fé, atormentada pela prova da acídia, não perde o seu valor. Com efeito, é a verdadeira fé, a fé humaníssima, que apesar de tudo, apesar das trevas que a cegam, ainda crê humildemente. É aquela fé que permanece no coração, como permanecem as brasas sob a cinzas. Ficam sempre ali. E se alguém cair neste vício ou numa tentação de acídia, procure olhar para dentro e proteger as brasas da fé. E assim caminhamos em frente. Que o Senhor os abençoe.

Missa de Quarta-Feira de Cinzas

O Papa Francisco presidiu na Basílica de Santa Sabina, a Santa Missa com o rito da bênção e imposição das cinzas. Em sua homilia, Francisco recordou que a Quaresma mergulha-nos em um banho de purificação e despojamento: ajuda-nos a retirar toda a “maquiagem”, tudo aquilo de que nos revestimos para brilhar, para aparecer melhores do que somos.

Voltar ao coração significa tornar ao nosso verdadeiro eu e apresentá-lo diante de Deus tal como é, nu e sem disfarces. Significa olhar dentro de nós mesmos e tomar consciência daquilo que somos realmente, tirando as máscaras que muitas vezes utilizamos, diminuindo a corrida do nosso frenesim, abraçando a verdade de nós mesmos.”

O Papa pediu aos fiéis que busquem viver este tempo litúrgico com autenticidade. “Enquanto continuares a usar uma armadura que cobre o coração, a disfarçar-te com a máscara das aparências, a exibir uma luz artificial para te mostrares invencível, permanecerás árido e vazio. Pelo contrário, quando tiveres a coragem de inclinar a cabeça para te olhares intimamente, então poderás descobrir a presença de um Deus que desde sempre te amou; finalmente despedaçar-se-ão as couraças de que te revestiste e poderás sentir-te amado com amor eterno.”

“Voltemos para Deus com todo o coração”, foi o convite do Pontífice, “para que nestas semanas de Quaresma possamos dar espaço à oração feita de adoração silenciosa, na qual permanecemos na presença do Senhor à Sua escuta”. 

cartaz CF 2024 - A4

Mensagem do Papa para a CF 2024

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou oficialmente nesta quarta-feira, 14 de fevereiro, a Campanha da Fraternidade 2024 com o tema “Fraternidade e Amizade Social” e o lema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Mt 23,8). O lançamento foi na sede da entidade, em Brasília (DF).

O lançamento às 10h (hora de Brasília), foi procedido pela celebração da Santa Missa presidida pelo bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário-geral da CNBB, dom Ricardo Hoepers, na Capela Nossa Senhora Aparecida. A cerimônia de abertura foi no Auditório Dom Helder Câmara.

Em comunhão com a Carta Encíclica Fratelli tutti, do Papa Francisco, inspirada pela vida de São Francisco de Assis, a Campanha da Fraternidade 2024 busca fazer um caminho quaresmal em três perspectivas: primeiro, incentivar as pessoas a verem as situações de inimizade que geram divisões, violência e destroem a dignidade dos filhos de Deus; segundo, impulsionar as pessoas a iluminar-se pelo Evangelho que as une como família e, terceiro, a agir conforme a proposta quaresmal, de uma conversão constante, promovendo o esforço para uma mudança pessoal e comunitária.

A cerimônia de lançamento contou com a participação, além de dom Ricardo Hoepers e do secretário-executivo de Campanhas da CNBB, do padre Jean Poul Hansen, que falaram sobre a importante marca dos 60 anos da Campanha em âmbito nacional e também sobre a escolha e importância da temática de 2024. Na oportunidade, também foi apresentado o vídeo com a mensagem do Papa Francisco para a Campanha desse ano.

Eis a íntegra da mensagem do Papa Francisco:

Ouça e compartilhe

Queridos irmãos e irmãs do Brasil,

Ao iniciarmos, com jejum, penitência e oração, a caminhada quaresmal, uno-me aos meus irmãos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil num hino de ação de graças ao Altíssimo pelos 60 anos da Campanha da Fraternidade, um itinerário de conversão que une fé e vida, espiritualidade e compromisso fraterno, amor a Deus e amor ao próximo, especialmente àquele mais fragilizado e necessitado de atenção. Este percurso é proposto cada ano à Igreja no Brasil e a todas as pessoas de boa vontade desta querida nação.

Neste ano, com o tema “Fraternidade e Amizade Social” e o lema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (cf. Mt 23, 8), os bispos do Brasil convidam todo o povo brasileiro a trilhar, durante a Quaresma, um caminho de conversão baseado na Carta Encíclica Fratelli tutti, que assinei em Assis, no dia 3 de outubro de 2020, véspera da memória litúrgica de São Francisco.

Como irmãos e irmãs, somos convidados a construir uma verdadeira fraternidade universal que favoreça a nossa vida em sociedade e a nossa sobrevivência sobre a Terra, nossa Casa Comum, sem jamais perdermos de vista o Céu, onde o Pai nos acolherá a todos como seus filhos e filhas.

Infelizmente, ainda vemos no mundo muitas sombras, sinais do fechamento em si mesmo. Por isso, lembro da necessidade de alargar os nossos círculos para chegarmos aqueles que, espontaneamente, não sentimos como parte do nosso mundo de interesses (cf. FT 97), de estender o nosso amor a “todo ser vivo” (FT 59), vencendo fronteiras e superando “as barreiras da geografia e do espaço” (FT 1).

Desejo que a Igreja no Brasil obtenha bons frutos nesse caminho quaresmal e faço votos que a Campanha da Fraternidade, uma vez mais, auxilie às pessoas e comunidades dessa querida nação no seu processo de conversão ao Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, superando toda divisão, indiferença, ódio e violência.

Confiando estes votos aos cuidados de Nossa Senhora Aparecida, e como penhor de abundantes graças celestes, concedo de bom grado a todos os filhos e filhas da querida nação brasileira, de modo especial àqueles que se empenham pela fraternidade universal, a Bênção Apostólica, pedindo que continuem a rezar por mim.

Roma, São João de Latrão, 25 de janeiro de 2024, festa litúrgica da conversão de São Paulo Apóstolo.

Franciscus

Vinde-Vede-sabado-4

30 anos do Vinde e Vede, Retiro de Carnaval

Está chegando um dos eventos mais aguardados pelos fiéis católicos do Espírito Santo: o Vinde e Vede, que ocorrerá entre os dias 10 a 13 de fevereiro. O evento promete ser um momento de espiritualidade, com pregações, shows, Missa e adoração.

O Vinde e Vede não é apenas um encontro religioso, mas também uma oportunidade de confraternização e solidariedade, pois a entrada será mediante a doação de 1 kg de alimento não perecível. Essa ação solidária visa ajudar aqueles que mais necessitam, alinhando a fé com a prática do amor ao próximo.

Entre as atividades programadas, destaca-se a presença do diretor espiritual da Renovação Carismática Católica (RCC) da Arquidiocese de Vitória, Padre Hugo. Além disso, a Presidente da RCC da Arquidiocese de Vitória, Suely Batista, também estará presente, compartilhando sua mensagem e experiência de fé com todos os presentes.

A música católica terá um papel especial no Vinde e Vede, destaque da banda Católico Soul e Sementes. A alegria e a espiritualidade das músicas certamente irão envolver os participantes, proporcionando momentos de louvor e adoração.

Outro ponto alto do evento será a tarde Carismática, que contará com a participação de vocalistas de várias bandas católicas capixabas. Será uma oportunidade para os participantes vivenciarem a diversidade musical que compõe a riqueza da música católica local.

O Vinde e Vede 2024 promete ser uma experiência única de fé, comunhão e celebração. A organização convida a todos a participarem, contribuindo com a doação de alimentos e abrindo seus corações para receberem as bênçãos desse encontro tão especial. Que esses dias sejam marcados pela renovação espiritual e pela manifestação do amor cristão em cada gesto de solidariedade.

WhatsApp Image 2024-02-04 at 01.32.32

Primeiro padre da Prelazia de Lábrea

No último sábado (03), a cidade de Canutama, localizada no coração da Amazônia, celebrou um evento histórico para a Prelazia de Lábrea. Thiago Mendes Alves, natural de Manaus, foi ordenado como o primeiro padre da Prelazia, marcando um capítulo significativo na jornada eclesial da região.

Thiago Mendes Alves iniciou sua trajetória na Paróquia São João Batista, em Canutama. Sua dedicação à comunidade, especialmente na Comunidade São Pedro, foi evidente ao longo dos anos. Thiago foi incentivado pelos seus avós, que o inseriram cedo nos trabalhos voluntários da Igreja.

“Lembro que aos nove anos de idade recebi o convite para participar de um encontro vocacional. Aceitei o convite, fui participar, gostei muito e a partir daí comecei a participar da Pastoral Vocacional. Foi por meio da Pastoral Vocacional que eu fui fazendo encontros, formações, estágio e fui discernindo a minha vocação”, comenta o Diácono Thiago.

No entanto, houve momentos de dúvida e reflexão em seu discernimento vocacional, especialmente após a mudança do Padre Éder Carvalho Assunção, para a África. Dias depois, recebeu o convite para ir conhecer o Seminário Propedêutico, que tinha como reitor o padre da Diocese de Ponta Grossa, José Lauro Gonçalves. Em 2015, foi fazer uma experiência no Propedêutico consolidando sua decisão de seguir a vida religiosa. Sua formação continuou no Seminário Interdiocesano de Porto Velho, onde se dedicou ao estudo de Filosofia e Teologia. Superando todos os desafios de uma vocação, Thiago foi ordenado diácono transitório em 25 de fevereiro de 2023, consolidando seu compromisso com a fé e a comunidade.

Neste ano, a Prelazia de Lábrea, celebrará o jubileu de 100 anos e a Ordenação Presbiteral do Diácono Thiago dará início as comemorações. “Me alegro muito de ser esse primeiro padre, o primogênito da Prelazia de Lábrea, isso mostra que a Evangelização aqui, na Prelazia, está acontecendo a palavra de Deus aos poucos está dando frutos. Eu acredito que a minha ordenação servira de gaz, energia para os padres que trabalham aqui, para a comunidade e para outros jovens, que possivelmente no futuro possam se dedicar ao anuncio da palavra de Deus. Para mim é um momento de muita alergia. Acredito que minha ordenação é o inicio da celebração do jubileu, e também vem para coroar com esse jubileu”, ressalta o Diácono.

A ordenação do primeiro padre da Prelazia de Lábrea é um marco significativo não apenas para Thiago Mendes Alves, mas também para a comunidade de Canutama e para a Igreja como um todo.

“Nossa Igreja é vocacionada e somos chamados a partir da nossa vocação, servir a essa Igreja. Eu acredito que a minha ordenação veio justamente despertar isso no coração de todos aqui na região. Precisamos entender que todos nós colaboramos um na formação dos outros”, completa Thiago

A  Comunidade Epifania, parabeniza Thiago Mendes Alves por sua dedicação, vocação e serviço à comunidade, desejando-lhe uma jornada frutífera e abençoada como sacerdote. Que sua ordenação seja um farol de inspiração para futuras gerações que buscam trilhar o caminho da fé e do serviço à Igreja.

inscrições (1)

Missão Laguna Negra 2024: Inscrições abertas para profissionais da Saúde

A missão do Barco Hospital Laguna Negra irá ocorrer entre os meses de maio a julho de 2024 na Prelazia de Lábrea, no Amazonas

A Comunidade Epifania em parceria com a Arquidiocese de Vitória e a Prelazia de Lábrea, abre inscrições para profissionais da saúde atuarem no Barco Hospital Laguna Negra 2024, a missão ocorre entre o período de maio a julho de 2024.

Os municípios que abrangem a Prelazia de Lábrea, no Amazonas, serão o cenário da Missão Laguna Negra, que visa despertar no voluntário da saúde a vivência da vocação missionária, convivendo, conhecendo, aprendendo e trocando experiências na realidade amazônica das comunidades ribeirinhas e indígenas.

O Barco Hospital Laguna Negra, necessita de profissionais de saúde voluntários para atuarem na região amazônica neste ano de 2024. O projeto desenvolvido desde 2007 pela Comunidade Epifania atende comunidades ribeirinhas e aldeias indígenas. O requisito é ter disponibilidade e formação em uma das especialidades necessárias: médicos, dentistas, enfermeiros, técnicos em enfermagem, técnicos em saúde bucal e outros.

De acordo com a missionária da Comunidade Epifania, Eliana Machado, a comunidade organiza a coordenação da missão com apoio da Arquidiocese de Vitória e da Prelazia de Lábrea, por meio do Projeto Igreja-irmã, que realiza coletas para manutenção da viagem, com combustível e alimentação, mas a principal doação é de medicamentos.

“No ano de 2023, realizamos aproximadamente 6 mil atendimentos à população ribeirinha e comunidades indígenas. Além de visitas missionárias, atividades pastorais e Celebrações Eucarísticas. Nosso desejo é sempre levar esperança, caridade e amor aos nossos irmãos e irmãs da nossa Igreja-irmã de Lábrea. Todos os anos contamos com os voluntários da saúde que fazem essa missão junto com a Igreja”, destaca.

Os profissionais de saúde interessados em participar, poderão se inscrever até o dia 31 de janeiro. Os interessados devem ser capazes de contribuir com consultas médicas com exame clínico, aferimento de pressão arterial, administração e fornecimento de medicamentos, tratamento odontológico (extrações, restaurações, profilaxia, consultas e palestras preventivas sobre higiene bucal), curativos e atendimentos emergenciais com administração de medicamento endovenoso e intramuscular.

CLIQUE AQUI E FAÇA SUA INSCRIÇÃO

Missão do Barco Hospital Laguna Negra

Em 2007 a Comunidade Epifania iniciou uma missão na Prelazia de Lábrea com envio de quatro missionárias consagradas para auxílio na formação pastoral na Paróquia São João Batista no Município de Canutama. Na trajetória da missão, o trabalho com a população ribeirinha tornou-se um desafio em meio à realidade precária das necessidades básicas humanas destes povos. E em janeiro 2007, ao realizar uma visita à Casa de Missão em Canutama, e deparando-se com este desafio, Doris Pereira de Almeida, fundadora da Comunidade, sentiu uma inspiração para iniciar um trabalho direcionado especificamente à população carente através de um Barco-Hospital que percorreria a calha do Rio Purus com a finalidade de levar atendimento médico e odontológico a essa comunidade.

A situação da saúde no local é alarmante. As sedes dos municípios dispõem de pequenos hospitais, que funcionam sem nenhuma estrutura. É fácil presenciar pessoas morrendo devido à picada de cobra por falta de soro antiofídico nos hospitais da região. As doenças tropicais, muito comuns nas enchentes e vazantes, fazem verdadeiros estragos, principalmente com as crianças.

Projeto Igreja Irmã: Arquidiocese de Vitória e a Prelazia de Lábrea

O Projeto Igreja Irmã foi criado pela CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – no final do ano de 1972. No início de 1972, a Arquidiocese de Vitória assumiu o Projeto com a Prelazia de Lábrea, como consta no Livro tombo desta Prelazia. Ou seja, neste ano de 2022 celebra-se 50 anos desta fraterna relação entre a Prelazia de Lábrea (AM) e a Arquidiocese de Vitória. Ao longo destes anos, aconteceram diversas visitas e diálogos entre os bispos anteriores da Arquidiocese e da Prelazia, bem como mudanças na dinâmica do Projeto visando ampliar e qualificar sua ação.

Os projetos missionários desenvolvidos na Amazônia com o generoso apoio das Igrejas Irmãs servem de sinal, recordação e incentivo para que toda a Igreja no Brasil seja, de fato, missionária, ‘em estado permanente de missão’. O objetivo do Projeto Igrejas-irmãs é partilhar a fé, os dons da graça, as experiências pastorais, pessoas e recursos financeiros como gestos de caridade cristã para com as Igrejas da Amazônia.

como_ter_audiencia_com_papa_vaticano_papa_francisco-2-julia-maiorana

Papa: o Evangelho não é uma ideologia, é o anúncio da alegria

Durante a catequese desta quarta-feira (15), aos milhares de fiéis e peregrinos reunidos na Praça São Pedro, Francisco enfatizou que “o Evangelho ainda é esperado nos dias atuais, e a humanidade de todos os tempos necessita do seu anúncio”.

“Após falar sobre diversas testemunhas do anúncio do Evangelho, proponho, como síntese destas catequeses sobre o zelo apostólico, quatro pontos baseados na Exortação Apostólica Evangelii gaudium, que completa neste mês dez anos. O primeiro ponto, que examinamos hoje, só pode dizer respeito à atitude da qual depende a substância do gesto evangelizador: a alegria.”

Com estas palavras, Francisco iniciou sua catequese durante a Audiência Geral desta quarta-feira (15). Diante dos fiéis reunidos na Praça São Pedro, o Papa enfatizou que “a mensagem cristã, conforme ouvimos nas palavras do anjo aos pastores, é o anúncio de uma ‘grande alegria'”.

“E qual é o motivo dessa grande alegria? Uma boa notícia, uma surpresa, um belo acontecimento?”, questionou o Pontífice, para então responder: “É muito mais do que isso, é uma Pessoa: Jesus! Ele é o Deus feito homem que nos ama sempre, que deu sua vida por nós e deseja nos conceder a vida eterna! Ele é o nosso Evangelho, a fonte de uma alegria perene!”

“Ou proclamamos Jesus com alegria, ou não o proclamamos, porque qualquer outra forma de anunciá-Lo não é capaz de trazer a verdadeira realidade de Jesus.”

A evangelização não é uma ideologia

Em seguida, o Papa faz um alerta aos fiéis: “um cristão que está descontente, triste, insatisfeito ou, pior ainda, ressentido e rancoroso não tem credibilidade”. Segundo Francisco, a evangelização funciona de forma gratuita, porque vem da plenitude, não da pressão.

O Papa enfatizou que “quando se evangeliza com base em ideologias, isso não é evangelizar, isso não é o Evangelho. O Evangelho não é uma ideologia: o Evangelho é um anúncio de alegria. As ideologias são frias, todas elas. O Evangelho tem o calor da alegria. As ideologias não sabem sorrir, o Evangelho é um sorriso, ele faz você sorrir porque toca sua alma com a Boa Nova”, sublinhou Francisco. 

A humanidade aguarda o anúncio do Evangelho

“Portanto, os primeiros a serem evangelizados somos nós, os cristãos, e isso é muito importante”, lembrou o Pontífice. Mesmo quando frequentemente nos encontramos imersos no ritmo acelerado e confuso do mundo atual, “também podemos nos ver vivendo a fé com um sutil senso de renúncia, convencidos de que o Evangelho não é mais ouvido e que não vale mais a pena o esforço de proclamá-lo”.

“Podemos até ser tentados pela ideia de deixar os ‘outros’ seguirem seu próprio caminho. Em vez disso, este é exatamente o momento de voltar ao Evangelho para descobrir que Cristo é sempre jovem, é sempre uma fonte constante de novidade.”

O Papa destacou que o Evangelho ainda é esperado nos dias atuais, e a humanidade de todos os tempos necessita do seu anúncio, inclusive a civilização imersa na descrença planejada e na secularidade institucionalizada. Especialmente em uma sociedade que negligencia os espaços do sentimento religioso, o Evangelho é aguardado.

Na conclusão da catequese, o Papa convidou cada cristão a renovar seu encontro pessoal com Jesus Cristo:

“Não nos esqueçamos disso. E se algum de nós não perceber essa alegria, perguntemos a nós mesmos se encontramos Jesus. É uma alegria interior. O Evangelho percorre o caminho da alegria, sempre, é o grande anúncio. Convido todos os cristãos, em qualquer lugar e situação em que se encontrem, a renovar seu encontro pessoal com Jesus Cristo hoje. Que cada um de nós, neste dia, pare um pouco e pense: Jesus, Tu estás dentro de mim: quero encontrá-Lo todos os dias. Tu és uma Pessoa, não uma ideia; Tu és um companheiro, não um programa. Tu és o Amor que resolve tantos problemas. Tu és o início da evangelização. Tu, Jesus, és a fonte da alegria.”

WhatsApp-Image-2022-10-15-at-11.35.39

Dia Mundial dos Pobres: “O ROSTO DO POBRE NOS INSTIGA A ALARGAR O CORAÇÃO”, AFIRMA DOM JAIME SPENGLER

“Não desvies o rosto de nenhum pobre” (Tb 4,7) é o tema escolhido pelo Papa Francisco para celebrar o Dia Mundial dos Pobres, que, neste ano, será realizado em 19 de novembro. A Igreja no Brasil, por meio das Pastorais Sociais e Organismos ligados à Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), propõe uma Jornada em preparação à data, de 12 a 19 de novembro.  Para esta sétima Jornada Mundial dos Pobres, a equipe propôs como tema: “Olhe para mim!” e o lema, em sintonia com a proposição do Papa Francisco, “Não desvies o rosto de nenhum pobre” (Tb 4,7). 

O presidente da CNBB, dom Jaime Spengler, gravou um vídeo, motivando para a Jornada, e salientando que o rosto do outro nos interpela. “O rosto de todo ser humano traz traços do rosto de Deus e, de uma forma toda especial, nos interpela o rosto do pobre. O rosto do pobre nos instiga a alargar o coração e ir ao encontro com aquilo que nós temos: Cuidar dos pobres, não desviar o olhar dos pobres”.

“Por isso nesse dia em que nós celebramos o Dia do Pobre, aliás, todos os dias são dias do pobre, mas a Igreja decidiu um dia especial para sensibilizar a nossa comunidade toda para essa situação que diz de uma desigualdade entre nós e clama por justiça”.

Confira o vídeo de dom Jaime na íntegra:

Dia Mundial dos Pobres 

O Dia Mundial dos Pobres foi instituído pelo Papa Francisco, em 2017, na conclusão do Jubileu da Misericórdia e é celebrado no domingo que antecede o Dia de Cristo Rei, que ocorre no último domingo do Ano Litúrgico da Igreja Católica, geralmente em novembro. A data tem como objetivo chamar a atenção para a situação das pessoas em situação de pobreza e marginalização e incentivar a solidariedade e o apoio aos menos favorecidos. 

Ele enfatizou a importância de ajudar os pobres e marginalizados e de promover uma cultura de encontro e solidariedade. Nesse dia, muitas paróquias e instituições religiosas ao redor do mundo realizam eventos e ações de caridade para auxiliar os necessitados e conscientizar a sociedade sobre a importância de combater a pobreza e a exclusão social.  

Materiais da Jornada 

Para contribuir na realização e mobilização da Jornada, junto com as pessoas em situação de pobreza, os materiais disponibilizados são: o subsídio para reflexão e celebração, cartaz, banner, camiseta, material para as redes sociais, Tvs e rádio. Acesse aqui, gratuitamente, todos os materiais. Para acessar a arte para cards, clique aqui.

Fonte: https://www.cnbb.org.br/dia-mundial-dos-pobres-o-rosto-do-pobre-nos-instiga-a-alargar-o-coracao-afirma-dom-jaime-spengler/

cq5dam.thumbnail.cropped.1500.844

Rezar pela Paz todos os dias

Em todos os momentos de comunicação com o mundo, o Papa Francisco faz apelos pela paz. Após a Audiência Geral de ontem, 15 de novembro de 2023, o pedido foi: “Todos os dias, alguém dedique algum tempo para rezar pela paz”. Leia a publicação do site vaticannews.va

O apelo insistente pela paz num mundo sufocado pelas guerras veio novamente na Audiência Geral desta quarta-feira (15). Ao final da catequese e da saudação aos peregrinos de várias partes do mundo presentes na Praça São Pedro, o Papa Francisco recordou dos conflitos vigentes que têm feito sofrer tantas pessoas:

“Rezemos, irmãos e irmãs, pela paz, de modo especial pela martirizada na Ucrânia, que sofre tanto, e também na Terra Santa, na Palestina e em Israel. E não nos esqueçamos do Sudão, que sofre tanto, e pensemos onde quer que haja guerra, há muitas guerras! Oremos pela paz: todos os dias, alguém dedique algum tempo para rezar pela paz. Nós queremos a paz. A minha bênção a todos!”

Escoteiros da Itália se unem à voz do Papa

Na Praça São Pedro, quem dedicou tempo para ouvir a mensagem de Francisco na Audiência Geral desta quarta (15) foi um grupo numeroso de escoteiros provenientes da cidade italiana de Foligno, região de Úmbria, a pouco mais de 150 Km de Roma. Eles fazem parte da AGESCI, a Associação de Guias e Escoteiros Católicos Italianos, que conta com 180 mil sócios e procura direcionar crianças e jovens à formação de bons cidadãos e cristãos, segundo os princípios e o método do escotismo, durante o tempo livre e as atividades extra-curricalares.

Além disso, em mensagem divulgada na segunda-feira (13) pelo comitê nacional da associação – “que se sente um instrumento a serviço da paz para acompanhar os jovens em direção às futuras estações do mundo”, vem o incentivo pela busca da paz em meio “aos gritos de dor da Ucrânia, ao conflito no Oriente Médio e tantas outras partes do mundo” que se “perguntam como esse sofrimento pode ser interrompido”.

Mas, afinal, o que é, que forma e cor tem a paz?, questiona o manifesto, ao formular respostas que se assemelham a um campo a ser arado pelas sementes de paz: a diferença está no “trabalho do agricultor, que cuida do campo com justiça e equidade durante a lenta sucessão das estações, que permite que as mudas cresçam e produzam frutos de paz por um longo tempo”, que, no seu tempo, poderão ser compartilhados por todos, sob “todas as cores que marcam o céu nas horas do dia e dos meses do ano”.

Sejam construtores de pontes, jamais de muros!

Assim, a associação compartilha e endossa a exortação do Papa Francisco “para promover o diálogo que constrói a paz”. Também “se compromete a continuar construindo experiências de convivência pacífica”. Na Praça São Pedro, vestidos com a tradicional camisa azul e entusiasmados pelo aniversário de 50 anos da associação, os escoteiros erguiam cartazes em meio aos peregrinos com mensagens de paz para o mundo. “Fazem barulho eles”, chegou a dizer o Papa Francisco, ao mencionar que o grupo ainda estava acompanhado de familiares e da Pastoral Vocacional de Foligno:

“Queridas crianças, exorto vocês a serem corajosos protagonistas nos ambientes em que vivem; acima de tudo, sejam alegres testemunhas do Evangelho, construtores de pontes e jamais de muros, jamais!”

Fonte: https://www.aves.org.br/rezar-pela-paz-todos-os-dias/

402148125_724884109670635_6978319417015993881_n

Comunidade Epifania na 5° edição do Congresso Missionário Nacional

Na capital amazonense, mais de 800 missionários provenientes dos quatro cantos do Brasil convergiram para participar da 5° edição do Congresso Missionário Nacional, que teve início nesta sexta-feira, 10 de novembro, no Studio 5 Centro de Convenções, em Manaus.

Representando a Arquidiocese de Vitória, está o Pe. Abel Andrade, Coordenador da Comissão Missionária da Arquidiocese e Pároco da paróquia Nossa Senhora das Graças em Vila Velha, o Seminarista Wellington, Ir. Izabete, Maria Amélia (Amelinha da Comunidade Epifania), Pe. Alair, recém-retornado da missão em São Gabriel da Cachoeira, e Pe. Paulo Sérgio, que está em Manaus desde agosto.

O evento teve início com a Celebração Eucarística, presidida pelo Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Jaime Spengler. A celebração contou ainda com a participação de 42 bispos dos 19 regionais da Igreja Católica no País, além do clero local, marcando a grandiosidade e representatividade do Congresso.

Durante os seis dias de evento, os participantes terão a oportunidade de se imergir na realidade amazônica, ampliando seus horizontes missionários e partilhando experiências para fortalecer o trabalho da Igreja Católica na região. O Congresso Missionário Nacional visa promover a troca de conhecimentos, aprofundar o engajamento missionário e fortalecer os laços de solidariedade entre os participantes.

O Congresso Missionário Nacional destaca a importância do diálogo intercultural e inter-religioso, promovendo a compreensão mútua e o respeito pelas diferentes realidades presentes na vasta Amazônia brasileira.

O evento, que se estende até o dia 15 de novembro, promete ser um marco significativo na busca por uma evangelização comprometida e contextualizada, alinhada aos desafios e peculiaridades da região amazônica.