A Casa Sagrada Família, obra de evangelização à serviço da caridade, desenvolvida pela Comunidade Epifania desde 1995 a partir de um pedido do então arcebispo de Vitória D. Silvestre Luiz Scandian para um trabalho inicial com crianças portadoras do vírus HIV/Aids.

1995 – Início de visitas ao Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória – HINGS ao setor de Isolamento direito levando recreação, apoio espiritual aos acompanhantes e promovendo lazer.

1995 a 2013 – Realiza visitas domiciliares as crianças em situação de risco pessoal e social encaminhadas pelo HINGS com o objetivo de assegurar a adesão ao tratamento adequado da AIDS, conscientizar às famílias desta necessidade, preservar e fortalecer os vínculos familiares.

1 de dezembro de 1996 – A Casa Sagrada Família é inaugurada em 1º. de dezembro de 1996, no Centro de Vitória, atendendo a uma demanda apontada pelos Conselhos Tutelares e Juizado da Infância e Juventude da Grande Vitória, com o objetivo de abrigar crianças de 0 a 6 anos vítimas de negligência doméstica em relação ao tratamento do HIV/AIDS, com o intuito de prover provisóriamente a atenção integral devida pela família, que neste caso representa ameaça à saúde desta criança que ficará abrigada por medida de proteção.

2002 a 2014 – No início do Projeto a permanência das crianças ficou estipulada por tempo indeterminado, pois a temática da Aids ainda era muito desconhecida e havia uma média de sobrevida de no máximo 12 anos. Com o passar do tempo, a evolução dos medicamentos retrovirais propiciou as crianças sobrevida indeterminada, e o tempo de permanência das crianças na Casa Sagrada Família foi sendo prolongado, chegando até a adolescência, o que gerou novas situações de abrigamento que vão além da proposta e objetivos iniciais da instituição. Neste interim, a Comunidade Epifania desenvolveu o projeto pequenas famílias na Chácara Vila de Nazaré, situada no Retiro do Congo em Vila Velha, de propriedade da Comunidade Epifania para desenvolver este e outros projetos de evangelização.

1997 a 2016 – A CASF através de seus membros e voluntários, realiza a seguintes atividades:

Atendimento as famílias cadastradas, onde ocorrem palestras de prevenção, lanches comunitários, apoio espiritual, distribuição de cestas básicas e repasse de doações recebidas. Trabalha no incentivo a adesão ao tratamento tanto das crianças quanto dos familiares que vivem com HIV/Aids; a adoção de condutas preventivas com ações educativas continuadas em se tratando de uma prática que exige mudança de comportamento e cuidados responsáveis da gestante e crianças.

2014-2015 – Entendendo o novo contexto histórico da Aids e o distanciamento do carisma originário, a CASF trabalhou intensamente na busca de famílias extensas para a integração social das poucas crianças/adolescentes que ainda se encontravam abrigadas.

2015 – Os Conselhos Comunitário e Administrativo da Comunidade Epifania se reúnem em retiro espiritual para delinear os rumos do abrigamento da Casa Sagrada Família a partir do carisma da Epifania, com orientação do Pe. Hugo Scheer. Fazendo memória do caminho percorrido e abrindo-se as exigências do tempo presente, a Comunidade Epifania compreende que em seu carisma o acolhimento a recém-nascidos, não só expostos ao vírus HIV, está totalmente em consonância com a página do Evangelho inspiradora do mesmo: a Natividade do Senhor. “E deu à luz seu filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria. ” – Lc 2,7.

Assim, oferecer uma hospedaria aos recém-nascidos em situação vulnerável com risco pessoal e social, é intrínseco ao carisma originário: “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos sua glória, a glória que o Filho único recebe do seu Pai, cheio de graça e de verdade. ” Jo 1,14 – Neste carisma a experiência básica é a da bondade e do amor condescendentes de Deus para com o homem. “Pois a glória de Deus é o homem vivo, e a vida do homem é a visão de Deus… Participar de Deus consiste em vê-lo e gozar da sua bondade” – Catecismo da Igreja Católica nº 294.

Fale com a Comunidade Epifania