Governo premia religiosa que alimenta crianças em situação de rua durante pandemia

O governo do Quênia premiou a religiosa Winnie Mutuku, das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, por seu trabalho de dar comida a crianças em situação de rua em meio à emergência de coronavírus no país africano.

A irmã Winnie foi uma das pessoas que recebeu o prêmio Uzalendo, cuja lista de vencedores foi anunciada em 1º de junho. O prêmio foi entregue àqueles que ajudam o país a enfrentar a pandemia.

A religiosa disse que o prêmio “foi totalmente inesperado. Não estamos fazendo nada de especial nas ruas com as crianças. Tudo o que faço como filha da caridade não merece um prêmio do Estado”.

Fotos cortesia da irmã Winnie Mutuku

 

 

 

 

A religiosa é a fundadora do projeto Upendo Street Children, que visa restaurar a dignidade das crianças em situação de rua, educá-las e reuni-las com suas famílias, se for possível.

Em diálogo com a ACI África em abril, a religiosa explicou os desafios que as crianças em situação de rua enfrentam na Diocese de Kitale, em meio ao toque de recolher que se caracteriza pela brutalidade da polícia contra as pessoas que encontra vagando na rua.

Um grupo de dez crianças, por exemplo, é forçado a se esconder na floresta ao redor da cidade, já que isso é melhor do que estar nas ruas.

“Ninguém quer ver crianças nas ruas. Quando a Polícia ou uma patrulha as vê durante o toque de recolher, batem muito nelas. As crianças que estão na rua vão para a floresta durante a noite e voltam com a luz do dia”, explicou a religiosa.

Acompanhada por outros membros do projeto Upendo, a religiosa dá comida às crianças nas segundas, quartas e sextas-feiras. Nesses dias, fornecem comida suficiente para o resto da semana. Às terças e quintas-feiras, a irmã Winnie visita as crianças que conseguiu reunir com suas famílias.

Em 2 de junho, contou a religiosa, conseguiu dar comida nos arredores da Catedral do Sagrado Coração, onde as crianças podem comer em um local coberto e, portanto, não se preocupam com a possibilidade de serem afetadas pela chuva. Às vezes, também fornece comida para os adultos.

“Agora só podemos dar comida para as crianças, mas nosso objetivo vai além da alimentação. Queremos transformar suas vidas, queremos dar-lhes uma família. Queremos impactar a vida deles porque acho que não pertencem às ruas”, enfatizou a religiosa.

desejo é ver os filhos das ruas de Kitale em um local de residência permanente, onde sejam formados e educados.

Publicado originalmente em ACI África. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.

 

Verifique também

Meios de Comunicação para construir pontes

O Papa Francisco enviou mensagem à Conferência Católica dos Meios de Comunicação 2020 dos Estados …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *