Religião e patriotismo são muito menos importantes para os jovens, aponta pesquisa

As gerações mais jovens de hoje classificam religião, patriotismo e ter filhos como menos importantes do que os jovens de duas décadas atrás, segundo revela uma nova pesquisa realizada pelo Wall Street Journal e pela NBC News.

Quando a pesquisa pediu aos americanos há 21 anos para dizer quais valores eram mais importantes para eles, uma forte maioria escolheu os princípios do trabalho duro, patriotismo, compromisso com a religião e o objetivo de ter filhos, de acordo com um artigo do Wall Street Journal.

Além do trabalho árduo, que continua sendo um valor alto, as prioridades mudaram claramente.

Cerca de 61% dos entrevistados na nova pesquisa citaram o patriotismo como muito importante para eles, uma queda de 9 pontos percentuais em relação a 1998, enquanto 50% citaram a religião, uma queda de 12 pontos. Cerca de 43% atribuíram um alto valor a ter filhos, uma queda de 16 pontos em relação a 1998.

Como era de se esperar, as pessoas mais velhas – com 55 anos ou mais – disseram que o patriotismo era muito importante (quase 80%), em comparação com 42% entre as idades de 18 a 38, a geração do milênio e os membros mais velhos da “Geração Z”.

Dois terços do grupo mais velho citaram a religião como muito importante, em comparação com menos de um terço do grupo mais jovem.

“Existe uma América emergente em que questões como ter filhos, religião e patriotismo são muito menos importantes. E nos Estados Unidos, é a geração emergente que dá as pistas de para onde o país está indo ”, disse o pesquisador republicano Bill McInturff, que conduziu a pesquisa com o pesquisador democrata Jeff Horwitt.

Nem todas as questões são pontos de discórdia, no entanto, constatou a pesquisa. As grandes maiorias classificaram a tolerância para com os outros como um valor pessoal muito importante, por exemplo.

Outras descobertas da pesquisa incluem:

  • 63% das pessoas que disseram que votariam nas primárias democratas afirmaram que o país se tornou mais diversificado e tolerante a diferentes estilos de vida e culturas, e que isso foi um passo à frente. Mas apenas 16% dos eleitores primários republicanos disseram que essas mudanças foram um passo à frente para o país.
  • Na nova pesquisa, apenas 19% dos afro-americanos disseram que as relações raciais eram razoavelmente ou muito boas, o nível mais baixo das pesquisas do Wall Street Journal/NBC News em mais de duas décadas.

Verifique também

Papa decide vetar políticos entre convidados do Sínodo da Amazônia

A menos de um mês da realização do Sínodo da Amazônia, marcado para outubro em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *