Pastoral Juvenil se manifesta em apoio à REPAM e ao Sínodo para a Amazônia

A Pastoral Juvenil da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifestou apoio ao Sínodo para a Amazônia, convocado pelo Papa Francisco para o próximo mês de outubro. Assessores, responsáveis diocesanos de juventude, líderes de expressões juvenis católicas e a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, reunidos em Brasília (DF), nos dias 6 e 7 de setembro, assinaram moção com “forte e irredutível apoio à REPAM (Rede Pan-Amazônica) e ao Sínodo Pan-amazônico”.

Os membros da Pastoral Juvenil citaram virtudes de desafios presentes na Amazônia, recordaram o grande número proporcional de jovens presente nos estados da região e apontaram para uma postura de esperança.

Enquanto jovens cremos num futuro diferente! Temos mais futuro do que passado! Por isso queremos manifestar aos organizadores do Sínodo e, em especial ao Papa Francisco, o nosso incondicional apoio e orações. Cremos ainda que não basta denunciar os males, é preciso que todos nós sejamos semeadores de esperança nos comprometendo na promoção da ecologia integral.

Confira o texto na íntegra:

 

Nós assessores, responsáveis diocesanos de juventude, líderes de expressões juvenis católicas e Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, reunidos em Brasília nos dias 6 e 7 de Setembro, queremos manifestar o nosso forte e irredutível apoio à REPAM (Rede Pan-Amazônica) e ao Sínodo Pan-amazônico a ser realizado em Roma de 06 a 27 de outubro deste ano.

Estamos ainda vivenciando a alegria e o entusiasmo provocados em nós pelo Sínodo da Juventude; bem como é forte em nossos corações o estímulo do Papa Francisco nos animando: “Quando te sentires envelhecido pela tristeza, os rancores, os medos, as dúvidas ou os fracassos, Jesus estará a teu lado para te devolver a força e a esperança” (CV,1) e mais ainda: “Peçamos ao Senhor que liberte a Igreja daqueles que querem envelhecê-la, ancorá-la ao passado, travá-la, torná-la imóvel” (CV, 35). Agora a Igreja se volta para outro tema de suma importância: a Amazônia.

Considerando a Amazônia uma das regiões mais significativas e estratégicas para o Brasil e o mundo; contemplando as inúmeras ameaças à sua biodiversidade; reconhecendo o sofrimento de tantos povos feridos em sua dignidade pela pobreza, pela ausência de dignos serviços públicos e a negação dos seus valores culturais; observando a diversidade de contextos onde impera corrupção e o populismo político; cientes de tantos desafios e dificuldades para a evangelização, constatamos a importância e a necessidade desse evento eclesial em vista da descoberta de novos caminhos para o fortalecimento da presença da Igreja na referida região. Muito nos alegra saber que na região amazônica está concentrado, proporcionalmente, o maior índice de jovens do Brasil. A Amazônia, portanto, é demograficamente a região da Esperança, por ter uma população jovem superando a metade da sua população. Eis, portanto, uma região que merece estrategicamente o máximo e atencioso carinho também da Pastoral Juvenil.

Todavia, também lamentamos a realidade de dramáticos fenômenos dos quais padecem os jovens na Amazônia, a juventude ribeirinha, indígena e quilombola, como por exemplo, a violência, o tráfico de drogas, a gravidez na adolescência, o desemprego, o suicídio, a inadequada formação profissional, o semi-analfabetismo, a pouca perspectiva de melhoria de vida.

Enquanto jovens cremos num futuro diferente! Temos mais futuro do que passado! Por isso queremos manifestar aos organizadores do Sínodo e, em especial ao Papa Francisco, o nosso incondicional apoio e orações. Cremos ainda que não basta denunciar os males, é preciso que todos nós sejamos semeadores de esperança nos comprometendo na promoção da ecologia integral.

Jesus Cristo sempre jovem, nosso amigo, mestre e Senhor, nos estimula a sermos em todas as circunstâncias profetas da Civilização do Amor. Pedimos insistentemente ao Espírito Santo, amor do Pai e do Filho, que derrame sobre todos os padres sinodais o dom da Sabedoria para que possam refletir com sinceridade e decidir conforme aquilo que o Espírito quer da Igreja (cf. Ap 2,7).

Cordialmente, assessores, responsáveis diocesanos de juventude, líderes de expressões juvenis católicas e Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude.

Brasília, 07 de Setembro de 2019

 

Pastoral Juvenil emite Moção de Apoio ao Sínodo Pan-Amazônico

Verifique também

Cartaz da Campanha da Fraternidade 2020 é aprovado

O cartaz foi foi aprovado na manhã desta pelos bispos reunidos no Conselho Episcopal Pastoral …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *